ESPETÁCULO SOM E LUZ EM CORPOS TEM PRÉ-ESTREIA EM EVENTO COMEMORATIVO AOS 40 ANOS DE EXIBIÇÃO DIÁRIA DO ESPETÁCULO SOM E LUZ.

A Administração Municipal de São Miguel das Missões através da Secretaria de Turismo, Desenvolvimento e Cultura realizou evento comemorativo aos 40 anos de exibição diária do Espetáculo de Som e Luz no dia 11 de outubro de 2018. Para celebrar as atividades do Espetáculo dentro da programação aconteceu o encontro dos 30 Povos Guarani – Brasil, Argentina e Paraguai, na Câmara Municipal de Vereadores.

Logo após, no Sítio Histórico São Miguel Arcanjo deu-se início da cerimônia de pré-estreia e lançamento do calendário oficial das apresentações do Espetáculo Som e Luz em Corpos para o ano de 2018 e a apresentação do primeiro ato do espetáculo. Com a presença das seguintes autoridades: Prefeito de São Miguel das Missões Hilário Casarin; Secretário Adjunto da Secretaria de Estado de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer André Kryszczun; Diretor do DETUR e Prefeito de São Nicolau Ricardo Klein; Professora de Dança da Universidade Federal de Santa Maria – RS Mônica Correa de Borba Barboza que dividi a direção artística da remontagem do Espetáculo Som e Luz em Corpos 2018, com o professor Cristian Castro; e demais autoridades locais.

A encenação do Espetáculo Som e Luz em Corpos passa ser exibido ao público no mês de dezembro de 2018 nos seguintes dias: 20, 21, 22, 27, 28 e 29. A partir 21h:30min no Sítio Arqueológico de São Miguel.

ESPETÁCULO SOM E LUZ.

O Espetáculo Som e Luz, criado em 1978, pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul e repassado para o Município de São Miguel das Missões, é uma narrativa que conta o nascimento, o desenvolvimento e o fim da experiência Jesuítico-Guarani. A história das Missões é contada diariamente, ao anoitecer, no Sítio Histórico São Miguel Arcanjo, declarado pela UNESCO Patrimônio Humanidade.

A história é narrada por duas personagens da experiência missioneira ainda presentes no local: a igreja e a terra. História contada em 48 minutos em uma viagem pelo tempo mostrando um pouco do cotidiano, da política, da arte, da guerra e da fé de uma sociedade que vivenciou um desenvolvimento harmonioso, baseado em relações sociais cooperativas.

O espetáculo Som e Luz possui a mesma estrutura desde a sua primeira apresentação em 12 de outubro de 1978. Este espetáculo é apresentado diariamente e do seu gênero é o mais antigo em exibição no Brasil.

O texto e roteiro de Henrique Grazziotin Gazzana conta com as vozes de Fernanda Montenegro, Lima Duarte, Paulo Gracindo, Juca de Oliveira, Rolando Boldrin, Maria Fernanda e Armando Bógus, resultando em uma experiência inesquecível.

A obra de requalificação do Espetáculo Som e Luz foram realizadas através do Instituto Iguassu Misiones, com o patrocínio do BNDES e com o apoio do IPHAN. Entre os benefícios, além da atualização tecnológica necessária, também houve melhoria significativa na qualidade de som e luz. O espetáculo, além de manter o texto e as vozes originais, agora tem duas outras versões: língua espanhola e inglesa.

ESPETÁCULO SOM E LUZ EM CORPOS. 

O Espetáculo Som e Luz em Corpos foi criado em 2005 pelo professor do Curso de Dança da UFSM, Odailso Berté. Criado junto à extinta Cia Sarx de Teatro-dança, de Santo Ângelo, permaneceu em cartaz, no Sítio Arqueológico de São Miguel, até o ano de 2009. Esta obra consiste na coreografia para o texto e a música do tradicional espetáculo de Som e Luz na Igreja da antiga redução de São Miguel Arcanjo, com bailarinos intervindos no cenário natural do Sítio Histórico.

Recentemente, através do Projeto de Extensão "De Terra Seus Corpos", coordenado pela professora Mônica Corrêa de Borba Barboza, e de um convênio entre o Curso de Dança-Licenciatura da UFSM e a Prefeitura Municipal de São Miguel das Missões, o projeto do Som e Luz em Corpos foi retomado.  Odailso Berté é o diretor geral dessa nova montagem. Os professores Mônica Borba e Crystian Castro docentes dos Cursos de Dança da UFSM são os diretores artísticos e criadores da nova coreografia. Estudantes dos cursos de Dança da UFSM farão parte do corpo de baile do espetáculo, além de participarem dos processos criativos e pedagógicos que conectam dança, educação e história.